RÁDIO WEB CEDEPPE

Centro de Desenvolvimento Pessoal e Profissional de Executivos

Qualidade e Gerenciamento de Projetos - Brasil, África, América Latina

Cursos CEDEPPE/ORGPLURAL

Cursos CEDEPPE/ORGPLURAL

CURSO:
SISEMA DE GESTÃO DA SEGURANÇA ALIMENTAR

ISO 22000 e Visão sobre a Cultura Orgânica

Justificativa:

Gerenciamos nas empresas clientes, a  APPCC - Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle, desenvolvido para garantir a produção de alimentos seguros à saúde do consumidor.

Uma das ações do projeto é a criação do Sistema APPCC, que tem como pré-requisitos as Boas Práticas de Fabricação e a Resolução RDC nº 275, de 21 de outubro de 2002 sobre Procedimentos Padrões de Higiene Operacional (PPHO). Esses pré-requisitos identificam os perigos potenciais à segurança do alimento desde a obtenção das matérias-primas até o consumo, estabelecendo em determinadas etapas (Pontos Críticos de Controle), medidas de controle e monitorização que garantam, ao final do processo, a obtenção de um alimento seguro e com qualidade.

Técnicos das Vigilâncias Sanitárias estaduais e municipais e técnicos em empresas produtoras de alimentos recebem capacitação por meio de aulas e seminários oferecidos pelo Cedeppe. A participação nos cursos e seminários faz com que os participantes estejam automaticamente associados a Cedeppe.

O Sistema APPCC contribui para uma maior satisfação do consumidor, torna as empresas mais competitivas, amplia as possibilidades de conquista de novos mercados, nacionais e internacionais, além de propiciar a redução de perdas de matérias-primas, embalagens e produto.

O Sistema é recomendado por organismos internacionais como a OMC (Organização Mundial do Comércio), FAO (Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura), OMS (Organização Mundial de Saúde) e pelo MERCOSUL e é exigido pela Comunidade Européia e pelos Estados Unidos. No Brasil, o Ministério da Saúde e o Ministério da Agricultura e Abastecimento já têm ações com objetivo de adoção do Sistema APPCC pelas Indústrias Alimentícias.

Objetivos:

Gerar uma cadeia de discussões sobre a cultura orgânica de alimentos e as normas que devem gerenciar qualquer que seja a cadeia produtiva de alimentos, sejam orgânicos ou não.

Público-alvo:

Todos que se alimentam e que possuem interesse de como devem ser gerenciadas as atividades de uma cadeia produtiva de alimentos.

Metodologia:

Atenção: Bem-vindos os produtores de alimentos, de  equipamentos, produtos de higienização e embalagens na cadeia produtiva de alimentos.

Aplicação: TODA a cadeia produtiva de alimentos independentemente do tamanho e complexidade Inclui organizações envolvidas diretamente ou indiretamente em uma ou mais etapas da cadeia Desde produtores de alimentação animal, varejistas, produção primária, serviços de alimentação Produtores de equipamentos, produtos de higienização e embalagens

ISO 22000 e os Elementos-chave de Comunicação interativa e Gestão de Sistema

Objetivos da Norma:  Harmonizar os requisitos da segurança alimentar, pelos operadores da cadeia produtiva. Especificar os requisitos para um sistema de segurança alimentar, combinando os elementos chave que asseguram a segurança dos gêneros alimentícios ao longo da cadeia alimentar.

Elementos Chave - permitem assegurar a segurança dos gêneros alimentícios ao longo da cadeia alimentar até ao consumo final.

Comunicação interativa - rastreabilidade, integração na cadeia alimentar. Sistema de gestão e ferramentas de gestão, integrada com outros referenciais de gestão.

Programas de pré-requisitos - bases indispensáveis à implementação do APPCC
Princípios do APPCC - 7 princípios

O APPCC ? Análise de Perigo e Pontos Críticos de Controle ou HACCP (sigla em inglês) é um sistema de controle que aborda a segurança do alimento através da análise e controle dos riscos físicos, químicos e biológicos, desde a produção da matéria-prima, suprimento e manuseio até fabricação, distribuição e consumo

PRINCÍPIOS DO APPCC

  • Princípio 1: identificação e avaliação dos perigos ? medidas preventivas
  • Princípio 2: identificação dos pontos críticos de controle (PCC)
  • Princípio 3: estabelecimento dos limites críticos
  • Princípio 4: estabelecimento dos procedimentos de monitoração
  • Princípio 5: estabelecimento das ações corretivas
  • Princípio 6: estabelecimento dos procedimentos de verificação
  • Princípio 7: estabelecimento dos procedimentos de registros

ISO 22000

  1. Gestão de recursos  
  2. Planejamento e produção de alimentos seguros  
  3. Validação, verificação
  4. Melhoria do sistema de gestão da segurança de alimentos

ISO 22000- Estrutura da norma
Sistema de gestão da segurança de alimentos

  • Requisitos gerais
  • Requisitos de documentação
  • Especificar os produtos ou categorias de produtos, processos e locais de produção que são abrangidos pelo sistema de gestão da segurança alimentar
  • Controle de documentos e de registros

ISO 22000- Estrutura da norma

  • Responsabilidade da direção
  • Comprometimento da direção
  • Política de segurança de alimentos
  • Planejamento do sistema
  • Responsabilidade e autoridade
  • Pessoal designado deve ter responsabilidade e autoridade definidas para iniciar e registrar ações

ISO 22000- Estrutura da norma

  • Coordenador da equipe de segurança de alimentos
  • Comunicação
  • Prontidão e resposta emergenciais
  • Análise crítica pela direção
  • Interface com o gerenciamento de crises

Fluxo de informações que impactam a segurança alimentar

  • Cliente
  • Fornecedor
  • Subcontratado
  • Comunicação
  • Equipe
  • Autoridades
  • Consumidor

ISO 22000- Estrutura da norma

  • Infra-estrutura
  • Ambiente de trabalho
  • Interface com BPF

ISO 22000- Estrutura da norma

  • Planejamento e produção de alimentos seguros
  • Programa de pré-requisitos (PPR)

ISO 22000- Estrutura da norma

Etapas preliminares para possibilitar a análise de perigos

  • Análise de perigos - O perigo deve ser avaliado conforme a severidade de efeito/probabilidade de sua ocorrência A metodologia usada para análise de perigos deve ser descrita e o resultado da avaliação dos perigos à segurança de alimentos devem ser registrados

ISO 22000- Estrutura da norma

As medidas de controle devem ser classificadas de acordo com a necessidade de serem gerenciadas através do Plano APPCC

Procedimentos que demonstrem que estão implementados

  • Registros de monitoramento PPRO PLANO APPCC
  • Limites críticos com razão para a escolha bem  documentada
  • Correções e ações corretivas quando os limites críticos forem excedidos

Correção X Ação corretiva

  • Correção - ação para eliminar uma não conformidade detectada
  • Ação corretiva - Ação para eliminar a causa de uma não conformidade detectada ou outra situação indesejável

ISO 22000- Estrutura da norma

  • Atualização de informação preliminar e documentos especificando o plano APPCC
  • Planejamento de verificação
  • Sistema de rastreabilidade
  • Controle de não-conformidades
  • Tratamento de produtos potencialmente inseguros

ISO 22000- Estrutura da norma

  • Disposição de produtos não-conformes
  • Reprocessamento ou processamento dentro ou fora da organização
  • Destruição e/ou disposição como descarte

ISO 22000- Estrutura da norma

  • Validação, verificação e melhoria do sistema de gestão da segurança de alimentos
  • Validação da combinação das medidas de controle
  • Controle de monitoramento e medição calibração

ISO 22000- Estrutura da norma

  • Verificação do sistema de gestão
  • Melhoria
  • Auditorias internas, avaliação de resultados de verificações individuais, análise dos resultados das atividades de verificação

Orientador:
Roberto Cysne.

As experiências em universidades  e  organizações industriais e de pesquisas industriais,  especialmente multinacionais estão em www.cedeppe.com.br/conteudo_327.html  enquanto as referências em  www.cedeppe.com.br/conteudo_119.html

Químico Industrial, Engenheiro Químico, Doutorado em Química Orgânica pelo Insituto de Química da  UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro, e Pós-Doutorado pela UMIST - University of Manchester Institute of Science and Technology , Inglaterra. Trabalhou com o laureado químico Robert N. Haszeldine, UMIST, havendo recebido o título FRIC - Fellow of The Royal Institute of Chemistry.

Participou na Inglaterra dos estudos que deram origem à Norma BS 5750, a qual foi originadora das Normas da Série ISO 9000.

Foi Gerente e Diretor de Garantia da Qualidade e Diretor de Produção em inúmeras empresas nacionais e internacionais, de pequenos, médios e grandes portes. Dirigindo-se para o Setor Público, graduou-se como instrutor pelo Quality College de Philip Crosby Associates, USA. Atua como professor e conferencista em gestão de empresas, no Brasil e no exterior, havendo treinado mais de vinte mil executivos em qualidade, planejamento e gerenciamento de projetos em todo o país e planejado mais de cem sistemas da qualidade certificados.

É especialista de reconhecido prestígio em Gerenciamento de Projetos e Implantação de Sistema de Gestão e introdutor no Brasil dos conceitos de Sistemas Integrados de Gestão. Foi membro do GANA - Grupo de Apoio . Normalização Ambiental (ABNT), para a introdução das Normas ISO 14000 no Brasil. É o idealizador, fundador e Presidente do Cedeppe - Centro de Desenvolvimento Pessoal e Profissional de Executivos. Atualmente desenvolve células de desenvolvimento científico, objetivando desenvolver consultorias tecnológicas para governos e empresas, sobre produção de bens de alto valor agregado, além de projetos voltados à formação de OSCIPs - Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público e Núcleos de Novos Negócios. Foi Instrutor na Escola de Comando da Secretaria Municipal de Segurança Urbana de São Paulo. Contato: cedeppe@gmail.com ; frc170811@cedeppe.com.br