RÁDIO WEB CEDEPPE

Centro de Desenvolvimento Pessoal e Profissional de Executivos

Missão - Desenvolver conhecimento aplicado para o fortalecimento pessoal e profissional

Universidade Corporativa

APONTAMOS OS PONTOS DE NECESSIDADES DE MELHORIAS NA EMPRESA ASSOCIADA E A PARTIR DELES CRIAMOS, JUNTAMENTE COM A GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS, A

UNIVERSIDADE CORPORATIVA.

Contato: ctc@cedeppe.com.br  

No Brasil, atualmente as empresas apostam cada vez mais em estruturas próprias para garantir formação e desenvolvimento de todos os níveis de colaboradores de maneira continua. Além de transmitirem aos seus funcionários seus conceitos e competências necessárias para atingirem os objetivos estratégicos, as companhias também buscam suprir as falhas do sistema educacional brasileiro.

Manter os conhecimentos atualizados é um dos pré-requisitos para manter seu valor no mercado profissional. E muitas empresas ajudam seus colaboradores a cumprir essa tarefa oferecendo treinamento por intermédio de universidades corporativas.

Uma Universidade Corporativa legítima atua como um verdadeiro gestor da educação nas empresas, pois consegue cobrir diferentes pontos dos treinamentos. O método garante e alinha os esforços empreendidos, padroniza os treinamentos para que seja possível medir os resultados entre as diversas escolas, otimiza recursos e reduz a redundância nos treinamentos, mantendo a mesma linguagem. A Universidade Corporativa ajuda a incorporar o conhecimento técnico e cultural da empresa

É importante o envolvimento das organizações focadas em ações à Educação Corporativa, afinal é fundamental investir no desenvolvimento dos talentos humanos que agregarão diferenciais significativos para o negócio e, consequentemente, terão uma parcela significativa na permanência das empresas no mercado cada vez mais competitivo.

Muito embora as universidades corporativas sejam diferentes em muitos aspectos superficiais, elas tendem a organizar-se em torno de princípios semelhantes, como: 

*Prover oportunidades de aprendizagem que dêem suporte para a empresa atingir seus objetivos críticos do negócio; 

*Desenhar programas que incorporem os três C's: cidadania, contexto e competências;

*Estimular gerentes e líderes a se envolver com a aprendizagem, tornando-se também com responsáveis pelo processo;

*Utilizar a universidade corporativa para obter vantagem competitiva e entrar em novos mercados; entre outros.

Essas universidades são como escolas empresariais voltadas à capacitação profissional, desenvolvimento de lideranças e introdução de temas relevantes que, porém, não estão inseridos no dia a dia do executivo.

Segundo pesquisa realizada pela FEA-USP (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo), a educação corporativa brasileira é realizada principalmente por grandes companhias, o que mostra a necessidade de ampliação pelas MPEs (Micro e Pequenas Empresas).

O levantamento destacou os maiores desafios da educação corporativa no País.

*Permitir o acesso irrestrito a todos os públicos internos e externos;

*Conscientizar e aumentar a participação das lideranças em todo o processo;

*Valorizar a meritocracia como elemento crítico no desenvolvimento das pessoas;

*Integração entre ações da educação corporativa e as demais áreas das empresas;

*Superar barreiras culturais;

*Ter mensuração e avaliação apropriadas dos resultados obtidos;

*Consolidar práticas existentes no mercado;

*Ter a educação corporativa como elemento indutor da sustentabilidade na empresa.

No ano passado, 55% das empresas ampliaram os recursos das UCs e 22% mantiveram o mesmo patamar. Apenas 23% tiveram reduções causadas por restrições financeiras internas, cenário econômico e mudanças de modelo de gestão.

A pesquisa destacou que existe uma necessidade de desenvolvimento de redes integradas e de parcerias com universidades. Sobre o faturamento, 57% estão acima de R$ 1 bilhão. Além disso, 70% têm mais de mil colaboradores.

Uma maneira de incentivar este desejo é configurar a Universidade Corporativa como uma instituição de ensino regular, uma faculdade ou universidade. Devem-se criar séries, classes, provas e regulamentos. Os alunos precisam conhecer quais são as metas a serem alcançadas e as regras a serem seguidas. A cada nova etapa vencida, o ideal é reconhecer todo o esforço e os bons resultados conquistados.

Por mais que aprecie e incentive as empresas a criarem suas próprias universidades, é preciso ser realista quanto ao atual cenário brasileiro: muito trabalho ainda precisa ser feito. Tudo depende de estruturação: sem uma organização prévia da própria corporação, nenhuma Universidade Corporativa irá trazer os resultados esperados.

E somado a isso, o mercado de trabalho passa por um período complicado, as empresas optam por ter um quadro de funcionários cada vez mais enxuto. As pessoas precisam desempenhar diversas funções e não têm tempo para refletir. Enfim, falta tempo para planejar uma Universidade Corporativa. Nós fazemos este trabalho para a empresa associada.